pergUNTAS FREQUENTEs

O que é HHO? 
 R: Estes são os gases produzidos quando a água é decomposta por eletrólise. Adicionais de hidrogênio e oxigênio melhoram consideravelmente a eficiência  do veículo produzindo uma mais completa e mais poderosa queima. Isto resulta numa  melhora de quilometragem .

É difícil de instalar um gerador de hidrogênio ?                                                                       
R: A maioria dos geradores  pode ser instalado em poucas horas. Damos-lhe instruções detalhadas da instalação 

Isso funciona em diesel e / ou turbinados ? 
R:  Só não fomos capazes de instalar um gerador em um modelo  Ford Diesel PowerStroke . A única razão é porque tem uma câmera de pré combustão  para começar a queimar combustível antes de ele bater no motor.  Qualquer grande plataforma com este (o que é raro), não pode usar o Kit HHO. 

Será que anula minha Garantia ? 
R: A maioria dos proprietários de veículos  não estão cientes de que estão protegidas por lei federal: a Magnuson-Moss Warranty - Federal Trade Commission Act Melhoria de 1975( U.S.A).  Nos termos da Lei Magnuson-Moss, aftermarket equipamento que melhora o desempenho não anula uma garantia original do fabricante do veículo.  A maioria dos estados têm  estatutos de garantia , que presta mais proteções para proprietários de veículos .
 Em outras palavras, isso significa que uma concessionária não pode tirar fora de sua obrigação legal de garantia pelo simples fato de instalar o equipamento aftermarket. Para descobrir se algum  equipamento tira automaticamente a garantia do seu veículo, verifique o manual do proprietário. 

E a segurança?
 
R :Os nossos kits são extremamente seguros.  Através de um sistema de demanda, o hidrogênio é extraído do gás e liberada somente quando necessário (hidrogénio-on-demand).  Temos a necessidade de eliminar perigosos  tanques de hidrogênio de alta pressão. Dezenas de milhares de clientes têm melhorado significativamente a sua quilometragem  com o  gás  sem quaisquer problemas ou incidentes. 
Eletrólise usa uma corrente elétrica para quebrar   o hidrogênio do  oxigênio  através da eletricidade e o eletrólito que é a soda caústica , hidróxido de potássio ou outro eletrólito .

Preciso  usar  EFIE ou simulador  de sonda lambda ? 
 R: Se o seu veículo for carburado não , mas se ele for com injeção eletrônica , provavelmente sim.Carros injetados possuem um sensor no escapamento que detecta a quantidade de oxigênio que sobra da combustão , se ele detectar pouco oxigênio o sensor manda um sinal para CPU do carro ,que automaticamente faz com que os injetores mandem mais combustível pois a mistura está pobre , caso detecte mais O2 ele o sensor faz o processo inverso.O simulador de sonda , serve justamente para que isto não ocorra quando é injetado HHO no motor , enganando a sonda lambda , e fazendo com que os injetores não mandem mais combustível , fazendo assim com que seu carro economize.

 Qual é a diferente entre  inox 304 e 316L dentro do gerador? 
R: 304 aço inox  é mais barato, mas precisam de mais manutenção.  Ela pode durar cerca de 1-2 anos no máximo e necessidade de limpar o material a cada 2.000 km de carro, 316L pode durar + de 10 anos . Não é necessário  manutenção  apenas adicionar água destilada  por cada 500 km rodados . 


Que tipo de manutenção deve se esperar  sobre estas unidades ?
R:Quase nenhuma ,desde de que  utilize apenas NaOH ou KOH.  ( bicarbonato de sódio não) como eletrólito , nenhum outro . Completar com água, de preferência destilada ou bi desmineralizada l,  a cada 300-500, não deixar exceder muito a amperagem para que não ocorra um super aquecimento do gerador . Com um pouco de zelo pode durar mais de 300.000 km . 


Quanto posso economizar de combustível  com estes geradores ?R:Em alguns casos  pode -se chegar a uma economia de até 80% , em média é de 25 á 65% , pode variar de carro para carro , tipo do motor , tipo do combustível , percurso , e até mesmo o condutor podem influenciar na economia proporcionada pelo gerador . ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

HHO gás e injeção de hidrogênio estudos para os céticos e pessimistas . A tecnologia do uso do hidrogênio como um acessório de combustão em motores de combustão interna tem sido pesquisada e comprovada por muitos anos.  Os benefícios são reais e bem documentados.  Nossa própria utilização desta tecnologia ou seja, o sistema de injeção de hidrogênio, também tem sido testada e comprovada tanto por parte das instituições e em centenas de aplicações práticas em veículos rodoviários. 

  Aqui está uma sinopse de uma amostragem da pesquisa que tem sido feito: 

."  No início dos anos oitenta Vosper George P. Eng., Ex-professor de Dinâmica e inventor brasileiro, projetou e patenteou um dispositivo para transformar motores de combustão interna movidos a hidrogênio. He later affirms: " Mais tarde, ele afirma: "Uma pequena quantidade de hidrogênio adicionada à entrada de ar de um motor a gasolina poderia aumentar a velocidade de chama e, assim, permitir o funcionamento do motor com o ar mais magra a mistura da gasolina que seria possível. O resultado, muito menos poluição, com mais poder e melhor rendimento. " 

" Em 1995, Wagner, Jamal e Wyszynski, no Birmingham, da Faculdade de Engenharia Mecânica e Fabricação>, demonstrou as vantagens da "adição fracionada de hidrogênio para motores de combustão interna por escape de gás combustível de reforma."  O processo trouxe benefícios em termos de estabilidade de combustão melhorada e óxidos de azoto reduzido e as emissões de hidrocarbonetos. 

" Roy MacAlister, PE da Associação Americana de hidrogênio afirma o "Uso de misturas de hidrogênio em pequenas quantidades e combustíveis convencionais oferece reduções significativas nas emissões" e que "o hidrogênio usando como um estimulante de combustão, é possível que outros combustíveis para atender as necessidades futuras de menores emissões na Califórnia e um número crescente de estados. relativamente pequenas quantidades de hidrogênio pode aumentar drasticamente a potência e reduzir as emissões de escape. " 
Na Conferência HIPÓTESE, Universidade de Cassino, Itália, 26-29 junho de 1995, um grupo de injeção de hidrogênio de cientistas da University of Birmingham, Reino Unido, apresentou um estudo sobre o hidrogênio como uma fração do combustível. " No resumo do estudo que afirmava: "O hidrogénio, quando usado como aditivo na operação de motor fracionário extremo magra, traz benefícios em termos de estabilidade de combustão melhorada e óxidos de azoto reduzido e as emissões de hidrocarbonetos". 
Na Primavera de 1997, numa conferência internacional realizada pela Universidade de Calgary, uma equipa de cientistas representando o Departamento de Engenharia de Energia, Universidade de Zhejiang, na China, apresentou um modelo matemático para o processo de formação e contenção de emissões tóxicas no hidrogênio mistura de gasolina motores. Usando a teoria da dinâmica química de combustão, o grupo elaborou uma explicação do mecanismo de formação de emissões tóxicas em motores de ignição. Os resultados da sua investigação experimental concluir que devido às características de hidrogênio, a mistura pode queimar rapidamente na mistura da gasolina motores alimentados a hidrogênio, assim, as emissões tóxicas são tolhidos.  Esses estudos e outras pesquisas sobre o hidrogênio como um suplemento de combustível gerado grandes esforços na tentativa de desenvolver sistemas práticos para melhorar o desempenho do motor de combustão interna. Alguns deles materializada em dispositivos patenteados que não atingiram o nível de desempenho, a segurança ou viabilidade que lhes permitam alcançar os estádios da comercialização. 


 Será que funciona ?Estudos independentes, em universidades diferentes, usando diferentes combustíveis, têm mostrado que a velocidade da chama aumenta quando pequenas quantidades de hidrogênio são adicionados na mistura ar-combustível.  Um estudo realizado pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia, em seu Laboratório de Propulsão a Jato de Pasadena, em 1974, concluiu: O conceito JPL tem, sem dúvida, demonstraram que a adição de pequenas quantidades de hidrogênio gasoso para a gasolina primária reduz significativamente o CO e NOx emissões de escape, melhorando a eficiência térmica do motor. Um estudo recente da Universidade de Calgary por GA Karim sobre o efeito da adição de hidrogênio a um motor a metano, diz... , acelera as taxas de iniciação e propagação de chamas subsequentes em toda a gama de toda mistura de combustível, inclusive  a rápido escoamento de misturas.  reduz o atraso de ignição e combustão , o que deve levar a melhorias significativas no processo de combustão e desempenho ... O que acontece dentro da câmara de combustão ainda é só um palpite. 
      Em uma explicação anterior sugeri que a  velocidade da  chama é  extremamente mais  rápida o oxigênio e o hidrogênio adicionado intercalados através da mistura ar combustível principal, dá a mistura  toda uma taxa  de chama muito mais rápida. Dr. Brant Peppley, Hydrogen Systems Group, Royal Military College, Kingston,  me convenceu de que o hidrogênio produzido é insuficiente para ter muito efeito por apenas queimar mais o combustvel. Ele sente que  a queima mais rápida  é mais provável, devido à presença  (atômica) de hidrogênio e oxigênio , que iniciam uma reação em cadeia. Agora eu concordo completamente. É mais provável que a alta temperatura na câmara de combustão quebra a moléculas de oxigênio e hidrogênio em radicais livres .  A reação em cadeia iniciada por esses radicais livres, irá causar uma inflamação simultânea de todo o combustível primário.  Os resultados dos testes às correções do Canadá, Alberta Bowden Instituição e de outros testes independentes reforçar a crença de que a combustão é significativamente acelerada. Eles notaram que os , hidrocarbonetos, CO e NO, (os gases de escape) foram eliminados ou reduzidos drasticamente e, ao mesmo RPM do motor mais torque produzido a partir de menos combustível. Recentemente, participou na prova de estrada um veículo conduzido por duas vezes o mesmo percurso de 200 quilômetros, no controle de cruzeiro, com a mesma velocidade, uma vez que com o sistema desligado, e uma vez com ele ligado. Um sensor de temperatura a partir de um kit pirômetro precisa ter sido inseridos diretamente no coletor de escape, para eliminar a distorção térmica do catalisador. Em média, a temperatura de escape coletor era de 65 ° C mais baixa durante a segunda viagem que o Sistema de Geração de Hidrogênio foi ligado.  O consumo de combustível com o aparelho foi 5,13253 km / li. and 7.9581 km/li.  com ele sobre, dando um aumento de quilometragem de 55,0% , e confirma  uma  quase ausência de monóxido de carbono e hidrocarbonetos .  Mais torque e menos combustível no mesmo RPM verifica que a maior pressão e uma queima mais rápida, por intermédio de um golpe de energia mais eficiente, produz mais torque e trabalho, assim, mais rendimento  com menos combustível.  A redução considerável dos óxidos de azoto (NOx) foi uma surpresa. Energia consumida por este modelo da célula de eletrólise é de cerca de 100 watts.  Se uma eficiência de 60% do alternador é assumida, então 0,2233 cavalos irá produzir potência suficiente.  Mesmo em um carro compacto, uma unidade usaria menos de 04/01% do seu rendimento do motor, ou sobre o que é usado pelos faróis.Reduzir os hidrocarbonetos e CO provoca um ligeiro aumento na porcentagem de CO2 nos gases de escape, mas como menos combustível é usado, a quantidade real de CO2 produzido é reduzida em aproximadamente a mesma razão que a poupança de combustível. Em breve, gás nocivo é quase eliminada e gases de efeito estufa é reduzida na proporção da redução do consumo de combustível. Nada do que eu aprendi até agora diminuiu minha convicção que os benefícios da utilização de eletrólise unidades de abastecimento de hidrogênio para a maioria dos tipos de motores de combustão interna são reais e consideráveis. Reproduzido com a permissão de George Vosper, P. Eng. June 1998 Junho 1998 
 SAE Report: A Antes método de tratamento para redução das emissões em motores Diesel 


 - PM 60%

  -CO 30% 

  -NOx 19%



      SAE Relatório de Desempenho e Consumo de combustível de um Estimativa Enriquecido Gasolina Motor Hidrogênio-em-carga parcial da Operação (Livro Tech SAE 2002-01-2196, Fontana et al) redução no consumo de combustíve
12% a 50% acima da faixa de torques
   mais  informações a respeito  site www.brownsgas.com  no link ( hho links ) pode ver dezenas de sites 





 

 

 

   
   
 
  Site Map